07 março 2011

AINDA OS HÁ LÚCIDOS...

Espécime, progressivamente, em vias de extinção, os governantes lúcidos ainda vão subsistindo. Descobri por casualidade um que, confesso-vos, não conhecia. Trata-se do Presidente da Câmara de Monção, de sua graça José Emílio Moreira, que, e muito bem, advogou a reintrodução do Serviço Militar Obrigatório (SMO), medida de suma importãncia para o país, mas pouco eleitoraleira que consequentemente foi abandonada creio que por todos, os denominados partidos do "arco par(a)lamentar". Uma vez mais se prova a abissal distância entre o que é importante para o país e para esses partidos...

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Vitor Miranda said...

Não concordo.

Umas Forças Armadas modernas têm forçosamente de ser profissionais por diversos motivos, quer de prontidão operacional quer pela complexidade dos sistemas de armas que tem de operar actualmente, para citar apenas alguns.

Não faz qualquer sentido gastar tempo e recursos a formar efectivos que depois a Instituição Militar se vê forçada a deixar ir após finalizado o tempo de serviço obrigatório.

Os elementos que servem as Forças Armadas Portuguesas devem ser cidadãos voluntários com a aptidão necessária para o desempenho das funções dentro daquilo que a Nação espera deles.

A Instituição Militar não pode ser o local onde a sociedade despeja os seus indesejáveis/inadaptados/desajustados com vista a serem corrigidos.

Atentamente

Vitor Miranda

segunda-feira, 07 março, 2011  
Blogger HNO said...

Respeito o seu ponto de vista embora não concorde com ele.
De experiência própria conheço o valor do SMO e os inúmeros benefícios de que era portador.
"Profissionais" sempre os houve - chamavam-se "Quadro Permanente".
Os melhores cumprimentos

segunda-feira, 07 março, 2011  

Enviar um comentário

<< Home