17 novembro 2008

APLAUSOS

Há no mundo do futebol (palco fértil de impulsos dificilmente racionalizáveis e consequentemente dado a comportamentos desviantes - A Tribo do Futebol de Morris continua a ser um recomendável clássico), como é bem sabido de todos, um cortejo de marginalidades que se acobertam no apoio clubístico.
Confesso-vos que, permanecendo evidentemente benfiquista, há muito me passou essa irracional fúria que, não raras vezes, me tirava do sério e quase me transfigurava. Tempos passados de tributo à notável obra de Robert Louis Stevenson, por certo. Hoje, creio, consigo racionalizar o fenómeno e não lhe atribuir importância superior à que lhe é devida. Não esqueço, porém, os tempos em que tal temperança não abundava. Compreendo, pois, os motivos que outros apontam para lhe dispensar atenção quase deísta.
Mas já vai longa a introdutória arenga que se me suscitou a propósito da detenção de um número elevado de membros da claque dos "No Name Boys". Ao que leio, em causa estão indícios que os associam a crimes graves, como associação criminosa (embora saibamos como esta expressão dá "pano para mangas"...), agressões violentas, tráficos de droga e armas, um apreciável rol, pois, de actividades marginais.

Parece pois que face aos indícios e mesmo substâncias apreendidas há matéria suficiente para criminalização desses indivíduos. Louva-se, naturalmente, a actuação de quem luta para retirar marginais ao convívio social.

Todavia não pude deixar de notar que (para além da inexistência de zelo análogo para outras congéneres de outras cores clubistas), à orgulhosamente multiracial, opositora de fanatismos de direita (recorde-se que se separaram dos "DV" por não quererem ser conotados com a extrema-direita) e "canhota" claque do Benfica, todas as críticas se mantiveram (e muito bem!) no mero plano criminal...

Fora a dos "Diabos Vermelhos" e a demonização (a que estou certo não faltariam mesmo tenebrosas ligações ao Mário Machado - apesar de sportinguista) e o espantalho da extrema-direita já aí andava pelos jornais como prenúncio de um qualquer golpe de estado...

Enfim... cumpra-se a justiça, se não for pedir demasiado...

Etiquetas: , , , ,

2 Comments:

Blogger VML said...

«Fora a dos "Diabos Vermelhos" e a demonização (a que estou certo não faltariam mesmo tenebrosas ligações ao Mário Machado - apesar de sportinguista) e o espantalho da extrema-direita já aí andava pelos jornais como prenúncio de um qualquer golpe de estado...»

Mesmo assim, o pasquim da procuradeira (Correio da Manhã), ainda teve a lata de tentar fazer essa associação (uma única vez, diga-se, e apenas no CM), dizendo que os No Name Boys têm ligações à extrema-direita, e por conseguinte ao Mário Machado, referindo no entanto que este é "adepto sportinguista".

O Correio da Manhã dizia, em NOTA de rodapé, numa das suas "notícias", o seguinte:

«LIGAÇÕES: EXTREMA-DIREITA
Elementos dos No Name Boys estão conotados com a Extrema-direita, em especial com o grupo Hammerskins, liderado pelo nacionalista Mário Machado – adepto do Sporting»

AHAHHAHAHAHAHAHAHAH

Passo a transcrever um apontamento encontrado no fórum nacional:

«Um pouco mais a sério, essa senhora é o máximo...

Acusa o Mário Machado em tribunal de incitamento à violência por escrever "vamos a eles" no fórum a propósito de um jogo entre o Sporting e o Benfica (e ainda queria discriminação racial porque, palavras dela, a claque dos No Name Boys tem muitos elementos de etnia africana).

Mas consegue ir misturar (porque é ela que manda isto para o Correio do Ministério, vulgo CM) a extrema-direita e o Mário Machado num assunto das claques do Benfica, e logo dos No Name Boys, a tal dos "elementos de etnia africana".

Nem costumo ligar muito ao que dizem esses tipos, mas assim irrita um bocadinho, e depois se alguém responde a quente ou tem o azar de escolher mal uma palavra, que seja propositadamente mal interpretada, lá vêm os processos da treta das ameaças e crimes conexos.»

PS: Tenho a impressão que o «conotados» tem a ver com as seis facadas que os No Name Bois deram a um do Grupo 1143, antes de o queimarem com uma tocha incendiária, numa espera que lhe fizeram à porta de casa. Fosse ao contrário e teríamos aqui mais um caso de tentativa de homicídio e gravíssima discriminação racial. Sendo a vítima um 1143, fica-se pela ofensa à integridade física, que parece ir ser o que a procuradeira acusa nesse caso...

terça-feira, 18 novembro, 2008  
Blogger VML said...

Última hora: Extrema-Direita tem offshores em Cabo-Verde

Depois da detenção do líder do gang do BPN, José Oliveira e Costa, o Correio da Manhã conseguiu apurar que a extrema-direita está ligada ao BPN.

Segundo fonte ligada ao processo, Mário Machado tem uma conta no BCP, banco que tem negócios com o BPN, e daí a ligação da extrema-direita mais radical ao militante do PSD José Oliveira e Costa.

quinta-feira, 20 novembro, 2008  

Enviar um comentário

<< Home