08 junho 2009

ESTE PAÍS SERÁ VIÁVEL?

Foi numa sala de hotel, acompanhado com apoiantes (sempre dedicados até ao final) que acompanhei, com a dificuldade que resulta do facto de apenas existirem cinco partidos, o resultado das eleições de ontem.
Importa tecer algumas considerações, tão claras quanto possível.
Começarei pelas notas negativas:
- Considero este resultado, da lista que encabecei, como uma derrota pessoal e, antes de quaisquer outros, da minha inteira e exclusiva responsabilidade, dado o contexto internacional em que se disputaram estas eleições;
- Sendo certo que aumentar cerca de 5.000 votos em eleições em que a própria abstenção cresceu poderia ser considerado positivo, confesso que esperava, como mínimo, que duplicássemos o resultado de 2004 (outros, mais optimistas, almejavam ainda maiores voos), ou seja, que nos colocássemos na ordem dos 16.000 votos, fiquei, portanto a 3.000 votos dessa marca;
- O crescimento assustador, absolutamente caracterizador do nível a que chegou o nosso país, da extrema-esquerda;
- A "vitória" da abstenção (rondando os 62%), devendo ser perguntado a esses vitoriosos o que irão fazer com a mesma, que mudanças empreendederão, que alterações profundas irão operar? A abstenção é uma absoluta inutilidade pois, por maior que se revele, e mesmo que eleitos por apenas 1% os políticos do sistema continuarão a governar, ralando-se pouco sobre as taxas de abstenção, seguramente a sua maior preocupação no momento em que fazem as malas para Bruxelas;
- A vitória do mais do mesmo pois, na realidade, PSD e PS são absolutamente iguais e votaram juntos 98% das vezes no Parlamento Europeu em 2008;
- A total ausência de uma campanha séria mas que, aparentemente ainda agrada a muito português;
- A tenebrosa instituição das sondagens que funcionou contra nós em voto "útil" de última hora no CDS;
- O boicote da comunicação social e o desrespeito pelas leis eleitorais e pela paridade na cobertura que devia ser padrão. Hoje mesmo ao analisar os pequenos partidos já o "Diário de Notícias" omite o PNR que, independentemente das minhas considerações, até cresceu ao invés de outro partido que noticiam...;
Como tantas vezes afirmei na campanha, temo mesmo que este nosso país não seja viável...

Etiquetas: , ,

21 Comments:

Blogger vitor said...

Caro Prof. Nuno
Não aceito de forma nenhuma que se diga derrotado. Com as dificuldades próprias de um partido fora do sistema , com o boicote demonstrado pelas televisões à mensagem nacionalista, com a pressão constante dos média esquerdistas, e até com a abstenção elevada, o seu resultado tem de ser considerado positivo e mais afirmo: sem desconsideração pelos seus ajudantes de campo, este resultado deve-se muito a si próprio, pois foi um interlocutor de um nível nunca visto nas hostes nacionalistas e que chegou ao ponto de "tentar" muitos PSDs que eu conheço pessoalmente a mudar o voto. Para muitos ainda não foi desta mas o futuro pertence aqueles que nunca desistem de lutar naquilo em que acreditam. Para esses , como o Professor, Portugal terá sempre um lugar na história, como sabe melhor que eu, na galeria dos grandes portugueses,estes nem sempre viram reconhecidos no seu tempo os actos que praticaram. Quem respeita Portugal como o Prof. , quem luta por ele sem quartel, contra tudo e contra todos, nunca será um derrotado. Um forte abraço deste seu amigo para sempre
Vitor "o engenheiro" Branco

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Vítor Ramalho said...

A derrota, para o guerreiro, nada mais é que o adiamento da inevitável vitória. O Guerreiro é, por natureza própria, perseverante. Pensa em desistir mas não desiste, pensa em fugir mas não foge, pensa em vingança mas não vinga. Se sente medo, nao o deixa domina-lo, tampouco deixa invadi-lo, o conhece apenas para evita-lo.



OSS

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger ZB said...

Parabens Humberto Nuno Oliveira.
Ao contrario do que afirma, não tem a meu ver que assumir qualquer derrota nestas eleições. Pelo contrario, perante a campanha extremamente negativa movida quer pelo regime , quer pela comunicação social , quer pelas instituições ao serviço do politicamente correcto, contra toda esta "febre" internacional federalista, mostrou ao povo Português uma atitude muito correcta e digna e apresentou-lhes um PNR sério, inteligente e com uma política cristalina e de verdade ao serviço dos ideais Nacionalistas e de defesa da nossa Nação.
Merece por isso todo o nosso apoio e agradecimento pelo trabalho desenvolvido e os nossos parabens pela subida bastante significativa do nosso eleitorado.
Desengane-se quem pensava ou pensa que a defesa do nosso Portugal se ganha facilmente; O caminho será de feito de batalhas consecutivas e constantes, de atitudes sérias e construtivas e de entrega ao serviço da nossa Nação.
Parabens mais uma vez a Humberto Nuno Oliveira, á direção do PNR e a todos os seus militantes .
António Perpétuo

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Manuel said...

Haja calma...
As sementes que deitamos hoje à terra virão a germinar quando for o tempo...
Continuemos, com tranquilidade e determinação.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger pvnam said...

---> A dicotomia Esquerda/Direita é um ERRO CRASSO...

---> A sobrevivência duma IDENTIDADE está num patamar acima da dicotomia Esquerda/Direita.

---> Pode-se ser de Esquerda/Direita e lutar pela sobrevivência duma Identidade...
---> Pode-se ser de Esquerda/Direita e considerar que não é uma prioridade a construção duma SOCIEDADE SUSTENTÁVEL (isto é, uma sociedade dotada da capacidade de renovação demográfica).


CONCLUSÃO ÓBVIA: Como diz o ditado popular - «só faz falta quem está» -, ou seja, o caminho a seguir só pode ser: antes que seja tarde demais, há que mobilizar, para o SEPARATISMO, aquela minoria de europeus [sejam eles de Direita ou de Esquerda!!!] que possui disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência...

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Activista said...

Caro Professor,

Jamais poderemos encarar a noite eleitoral de ontem como uma derrota nacionalista. Afinal de contas, com muita certeza, o PNR foi ao cabo o partido que menos investiu em propaganda política, como sejam os cartazes, outdoors, entre outros. É certo que as dificuldades financeiras para sustentarem tal projecto audaz e ambicioso jamais serão desculpa mas o que é certo é que houve 13mil pessoas a abdicarem do seu lazer para entregarem o seu voto a si e ao PNR.

O PNR é uma pedrada no charco porco e sujo do sistema de destruição nacional. Há que dar tempo ao tempo e, como é óbvio, esperar pelo resultado das legislativas.

É certo que poderíamos alcançar muito mais. Aliás, por natureza ideológica, nós, nacionalistas, jamais desistiremos de lutar por Portugal. Como já disseram anteriormente, é necessário, em primeiro lugar, deixar as sementes e esperarmos que elas cresçam!

A voz nacionalistas jamais se calará!

Viva ao Prof. HNO!

Viva o PNR!

Viva a Portugal!

Um abraço,

Activista

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Diogo said...

Obrigado pela disponibilidade. Obrigado por não recear dar a cara em nome de um Portugal maior.
Hoje 13000, amanhã, certamente muitos mais.
Um abraço e que continue.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Maria said...

Quem disse que saiu derrotado? Nem pense nisso. O partido duplicou os votos relativamente às últimas eleições, segundo li. Isto quer dizer o quê? Vitória òbviamente. Ainda longe da desejável, mas vitória de todas as maneiras.
Contràriamente ao que possa pensar está de parabéns através da sua excelente prestação durante a campanha, que foi digna, independente, patriótica. Diria mais, muitos desses votos deveram-se à sua empenhada e genuína contribuição. E é de patriotismo e de verdade que os portugueses estão urgentemente precisados.
As próximas eleições demonstrá-lo-ão uma vez mais. O único ponto que não deve ser descurado e, antes, reforçado até à exaustão, é a mensagem de esperança e de orgulho patriótico e muito particularmente de independência face ao capitalismo mundial - na origem do qual está a UE que mais não é do que uma URS - que o PNR conseguiu transmitir aos eleitores nestas eleições e que, como se viu, a absorveram.

Deixo uma pergunta aos jornalistas e respectivos chefes que os orientam, (que por sua vez, segundo os jornais, recebem ordens directas da central de comunicação instalada no próprio gabinete do primeiro ministro): porque razão não foram às sedes (ou hotéis) dos partidos pequenos onde estes estavam reunidos, para recolher os respectivos testemunhos sobre os seus resultados eleitorais? Será porque não receberam votos em número suficientemente expressivo ou antes porque eles não fazem parte do sistema (pôdre) instituído? Ou porque os portugueses que neles votaram não são cidadãos iguais aos que votam nos partidos do poder? Mais uma vez se vê a real qualidade desta intragável democracia comandada à distância.

Nota: Será que os votos apurados e apresentados aos portugueses são os efectivamente obtidos por cada partido?
Maria

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Rudel88 said...

De modo nenhum aceito as suas declarações derrotistas caro Prf. Humberto, embora concorde com o resto da sua análise sobre estas eleições.
Foi com a maior alegria que vi o partido em que me revejo ideológicamente crescer significativamente em número de votantes, e se algums almejavam outros números, como diz, penso que este crescimento deve dar ânimo e força para pensar as legislativas e crescer ainda mais.
Portugal será viável enquanto houver um português disposto a derramar o seu sangue pela pátria contra os federalistas, traidores e demais imimigos.
Um abraço caro Prf e bem haja
Nacional Alentejano
http://nacionalalentejano.blogspot.com/

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Gonçalo Couceiro Feio said...

Subscrevendo a maioria dos comentários (o de pvnam é incompreensível - com desculpas ao próprio), acho que foi um resultado bom, atendendo ao nacional-parolismo e aos insultuosos boicotes às propostas sérias de que sempre se revestem estes actos eleitorais. Em Aljubarrota éramos menos.
Abraço

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Å said...

"Considero este resultado, da lista que encabecei, como uma derrota pessoal e,..."

Só a brincar!

E mais não digo porque não convém.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger vml said...

Os meus parabéns pela excelente postura e grande empenho!

O resto fica para outras núpcias ;)

PS: vivemos num país de comunas, muito graças ao anterior regime.

PS2: as eleições de setembro começam hoje.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger harms said...

Não acho que tenha sido derrota nenhuma. Podíamos ter ido mais longe? Se calhar. Também penso que o PP nos roubou uns votos valentes. Perante a indecisão manifestada nas sondagens, entre a possibilidade de o PP eleger um ou dois deputados, acredito que pessoas que votariam em nós optaram pelo dr.Melo. Esperemos que não se repita a história em Outubro.
Quanto ao resto, crescemos 60%. E, se isso aconteceu, deve-se a si em grande medida. Derrota só se não tivéssemos comparecido. Estivemos e continuaremos a estar. Abraço e obrigado pelo que tem feito por todos nós.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Abrantes said...

Derrota Pessoal ?
NUNCA!!!
Continue.
Manuel Abrantes

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Blogger Euro-Ultramarino said...

Meu Caro Amigo,
Muito obrigado por ter tido a coragem de dizer em alto e bom som, e com a cabeça erguida, as verdades que muitos portugueses pensam baixinho... De modo algum considere este resultado como derrota pessoal, pois de derrota nada tem. O seu trajecto - em campo inimigo e minado - foi rectilíneo, íntegro, exemplar.
Desde longe, vía Internet, vibrei,ao ouvir o Amigo defender o verdadeiro Portugal!
Um forte abraço.

terça-feira, 09 junho, 2009  
Blogger Sweet About Me said...

A mairia da população vota nas pessoas e não nos partidos. Não se iluda. O que peca ao PNR é não se dirigir à população trabalhadora, porque parte do pressuposto que a classe trabalhadora é "comuna" então dirigem a sua campanha à classe média alta (que entretanto foi estrangulada e já não é alta) e essa não vota, cansou-se, desistiu da vida politica.

Antes de ser mais que insultada por não ser PNR, aliás, hoje em dia considero-me apolitica, desiludida, descrente, etc etc, o PNR é um partido que mais parece um movimento 10 de junho (ainda existe esse movimento? ou fundiu-se?). Procuro na net o seu programa, os seus objectivos, as suas propostas concretas para governar o país e só encontro questões relacionadas à emigração. Ou seja, até hoje procurei o sumo e só encontrei a casca. Se me quiser indicar alguns sites onde eu posso saber a fundo afinal o que o PNR propõe agradeço.

Quanto à europa, por muita razão que tenham, a verdade é que não podemos sair dela. Endividados até à raiz dos cabelos, é utópico e até incoerente defender a nossa saída. No dia em que saissemos e tivessemos que pagar oq ue devemos, eramos comprados pela espanha ou coisa que o valha.

E já agora outra pergunta, porque é que toda a vez que tento discutir politica com alguém do PNR sou insultada?

terça-feira, 09 junho, 2009  
Blogger Vítor Ramalho said...

O PNR dirige a sua mensagem a todos os portugueses e sabe perfeitamente que os trabalhadores não são comunistas.
Toda a informação sobre o programa do PNR encontra-se no seu site e nos blogues Terra Portuguesa, pode também visitar alguns blogues pessoais mas que neste particular vão reflectir as tendências dos seus “donos”.
Não concordo com o que diz acerca da EU, vamos continuar a endividar-nos ainda mais a ficar cada vez mais dependentes, não somos contra a EU, mas sim contra o projecto actual que fomos obrigados a aceitar sem nos perguntarem nada.
Espero não a ter ofendido.

terça-feira, 09 junho, 2009  
Blogger DB said...

Manifesto aqui o meu sincero e sentido agradecimento ao meu amigo e camarada Humberto Nuno de Oliveira, por ter encabeçado uma lista da qual tive a honra de fazer parte, bem como a todos os que por ela trabalharam sem esperar mais em troca que a recompensa do dever cumprido.

terça-feira, 09 junho, 2009  
Blogger Sweet About Me said...

Obrigado pelo esclarecimento. Vou passar os olhos pelo blog que me indicou.
Quando disse que esperava não ser ofendida é que na maior parte dos blogues alusivos à extrema direita ou a simpatizantes do PNR, qualque robservação menos a favor, é-se logo bombardeado com mimos. Mas é igual nos blogues da extrema esquerda. Deve ser um problema de educação e não de partidos. :)

terça-feira, 09 junho, 2009  
Blogger HNO said...

Sem dúvida que sim, "SweetAboutMe", nesta casa não se odende ninguém pois eu não permito abusos de linguagem.
leia sobre nós e o que propomos, de prefer~encia de mente abeta e sem condicionamentos.
E volte sempre.

terça-feira, 09 junho, 2009  
Blogger Miguel Vaz said...

Caro Humberto,
Isto ainda está só a começar!

terça-feira, 09 junho, 2009  

Enviar um comentário

<< Home