10 fevereiro 2011

UMA TRAGICOMÉDIA "AMERICANA"

Relatam os jornais o enredo familiar entre a actriz negra Halle Berry, o modelo branco Gabriel Aubry e a filha de ambos de nome Nahla. Consta que o pai (pelo que se pode comprovar pela fotografia junta afectado de graves problemas de visão...) não gosta que a mãe se refira à filha de ambos como negra. E a coisa não fica por aqui. À mãe defensora da teoria "one drop" segundo a qual basta uma gota de sangue negro para que a filha o seja também (reparem que no caso desta acérrima defesa rácica ninguém levanta a voz condenatória...), opõe-se o pai, desconfortável, e descrito por uma ex-namorada como "extremamente racista".
Porém todos lavram em lamentáveis equívocos. Tem razão o pai ao não concordar com a classificação de negra, pois na realidade é mestiça e não negra pura como pretende a mãe. Engana-se a ex-namorada na classificação de racista. Se fosse racialista jamais Gabriel teria uma filha de uma negra, se fosse racista jamais teria sequer sexo com uma...
Mas neste mundo de pernas para o ar e onde o direito ao mais completo disparate é livre toda a parvoice ganha foros de autoridade...

Etiquetas: , ,

2 Comments:

Blogger Nuno Castelo-Branco said...

Por "acaso", as fotos no google denunciam outra coisa. Aparentemente, a dita bebé tem mais gotas de "sangue branco" que "negro". Diga aquilo que a Berry disser, é o que parece. A propósito, já conhecia o nome da actriz, mas não a cara e muito menos ainda, o marido. Fiquei elucidado.

quinta-feira, 10 fevereiro, 2011  
Blogger HNO said...

Pois as misturas de gotas dão sempre dificuldades de gestão da pureza...
Um grande abraço Nuno

quinta-feira, 10 fevereiro, 2011  

Enviar um comentário

<< Home