16 outubro 2008

É SÓ O PRINCÍPIO... HABITUEM-SE...

A França está em estado de choque após jogo com a Tunísia no “Stade de France” na passada Terça-feira. Admiram-se de quê, pergunto eu? E o que se passou é só o princípio, vão-se habituando ou, melhor seria, abram os olhos e tomem as necessárias medidas, se tiverem coragem e o “politicamentecorretês” lhes permitir...

O desrespeito dos “franceses” (uma vez que quem assobiou foram adeptos de nacionalidade francesa mas das mais diversas origens magrebinas) pelo “seu” hino “A Marselhesa”, desencadeou – menos mal - reacções de choque e indignação por todo o país.



A verdade é que, no estádio havia mais “franceses” simpatizantes da Tunísia do que verdadeiros franceses, razão pela qual “A Marselhesa” foi vaiada. Ben Arfa, descendente de tunisinos e internacional gaulês (até custa escrevê-lo...), recebeu uma assobiadela monumental. Que faz esta gente em França, urge perguntar. Como se levantam bandeiras de todos países do Magrebe quando do golo da Tunísia na capital de França?



Se esta gente não se sente francesa porque não vão apascentar rebanhos para o adorado norte de África?

Apesar de isto ser apenas o início a França está em choque. Sarkozy convocou uma reunião de emergência com o presidente da federação francesa de futebol e o secretário de Estado do Desporto, Bernard Laporte, sugeriu que se tomem medidas drásticas, afirmando mesmo : "Não sejamos hipócritas. Acabemos com os jogos com os países do Magrebe em Paris, pura e simplesmente". O primeiro-ministro François Fillon afirmou ser "insultante para a França e para os seus jogadores [quanto a este particular tenho algumas dúvidas]. Não é tolerável".
Repararam, porém, que aqui jamais se falou de xenofobia?

Etiquetas: , , ,

3 Comments:

Blogger Filhos de Saló said...

Entretanto nos países muçulmanos e na Índia os cristãos vão sendo assassinados,com o silêncio cúmplice da dita comunidade internacional.
"Eles" hão-de apertar tanto com a Europa,que esta um dia vai ter que reagir.
Agora se vai a tempo,é que já não sei...
Por mim,morto por morto,partia para o nuclear!

sexta-feira, 17 outubro, 2008  
Blogger DB said...

Caro HNO,

Excelente texto e lapidar conclusão, que referi no Jantar das Quartas.

Entretanto, escrevi sobre este tema no meu blog e recordei um caso passado entre nós: «E para aqueles que acham que esta é uma questão francesa, que nada tem que ver com o resto da Europa, nomeadamente com o nosso país, pergunto: lembram-se do jogo, igualmente “amigável”, entre Portugal e Angola, em 2001, marcado pela violência, pelos distúrbios e abstinência policial por medo de “racismo”, que resultou em grave perturbação da ordem pública?»

Um abraço.

sexta-feira, 17 outubro, 2008  
Blogger Nuno Castelo-Branco said...

Fiquei satisfeitíssimo, Humberto, adorei. Mesmo! Aquela converseta em hora de urinol que os franceses debitam a propósito de tudo e de nada, vai sair-lhes carota. Quando se referem aos portugueses - que não os roubam e a cujas mulheres, as concierges, deixam as chaves de casa - lá estão os franceses a inventar piadinhas porcas. Com a mourama, piam baixo. Olha, eu até me rebolo de gozo quando ouço a Marselhesa a ser assobiada (lá no alto, o Luis XVI deve fazer o mesmo).
No entanto, se os cameleiros não gostam de estar em França, óptimo. Vão para a Tunísia e limítrofes ou então regressem ao buraco reprodutor da mãezinha deles.
Tenho dito...

domingo, 19 outubro, 2008  

Enviar um comentário

<< Home