04 abril 2010

O FIM DA FANTASIA?

Foi ontem assassinado enquanto dormia, aos sessenta e nove anos de idade, Eugène Terre Blanche, lider do Afrikaner Weerstandsbeweging (AWB - Movimento de Resistência Afrikaner) que, após o fim do regime branco na África do Sul ousou lutar e exigir uma pátria branca em tão vasto país (dispondo-se inclusivamente a ficar com as piores áreas), face à inviabilidade da fantasia multi-racial, ou étnico-racial, se preferirem que pretendiam criar,
O domínio negro mostrou já o que pretende: uma àfrica do Sul negra e para negros onde brancos e mestiços são relegados para a marginalidade que outrora lhe foi imposta. É, pois, a mera aplicação da pena de Talião.
Ousou exigir que os sul-africanos brancos pudessem ter uma pátria. O ódio da política vigente não lho permitiu. Os agentes do novo "apartheid" incapazes de lhe fazerem frente chacinaram-no à pancada até à morte enquanto dormia. Coragem proverbial, como se esperava...
A guerra que jamais se extinguiu está mesmo à porta. O Estado sonhado condenado ao fracasso ou ao extermínio dos brancos - sul-africanos de várias gerações - que pretendem ter voz no país dos seus avós. Tarefa impossível e contrária aos "ventos da história".
Nesta época de "meias-tintas" e politicamente correcto aqui fica a minha sentida e inequívoca homenagem a Eugène Terre Blanche.

Etiquetas: , , , ,

7 Comments:

Blogger harms said...

Com o branqueamento noticioso de que o homicídio se deveu a questões laborais. deve ter sido.

domingo, 04 abril, 2010  
Blogger José Domingos said...

Enquanto, na europa, é a tolerância, como cobardia.
Morreu, pelo que lutou, um Homem.
Deveria ser um exemplo, para os morgados do regime, cá do burgo.

domingo, 04 abril, 2010  
Blogger Flávio Gonçalves said...

Eu, sendo mais realista ou pessimista, critico o pobre do Eugene pelo gosto que tinha em ter negros a trabalhar para ele.

Claro que assim sendo bem podia ficar com a pior terra, quem a ia trabalhar de qualquer modo eram os pretinhos que iam para a futura Pátria Branca durante o dia trabalhar, para à noite voltarem às barracas algures no resto da África do Sul negra.

Escrevi sobre o personagem numa abordagem menos poética e, infelizmente, mais desagradável.

É óbvio que um racista que ande de camisa castanha e faça discursos com suásticas pernetas, a pedir um país só para brancos, mas que ao mesmo tempo só emprega pretos nas suas fazendas (tá bem que um gajo é racista e tal, mas a mão-de-obra branca é mais cara) estava mesmo a pedi-las.

Diga-me lá se não é mesmo o género de patrão importador de mão-de-obra imigrante que o seu partido tanto critica?

segunda-feira, 05 abril, 2010  
Blogger pvnam said...

---> É uma inviabilidade óbvia a fantasia multi-racial: os que são predadores, numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios, não são de confiança...



---> Será uma BANDALHEIRA INQUALIFICÁVEL deixar as próximas gerações de nativos europeus à mercê dos predadores que estão numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios...

---> Não há tempo a perder com os IDIOTAS SUICIDAS (PNR's e afins) -> estes idiotas não vêem que a maioria dos europeus (vulgo bandalhos brancos) não são de confiança: não se preocupam em constituir uma sociedade sustentável (média de 2.1 filhos por mulher)... adoram fazer negociatas fáceis à custa de mão-de-obra servil ao preço da chuva...


CONCLUSÃO: Antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência... SEPARATISMO-50-50... e coligação (do tipo NATO) contra o inimigo comum: os predadores insaciáveis...
{nota: como possui armas de alta tecnologia, e como também está demograficamente ameaçada... será da máxima importância mobilizar a Russia para esta coligação}

segunda-feira, 05 abril, 2010  
Blogger pvnam said...

---> O comentário do Flávio Gonçalves está muito bom.

terça-feira, 06 abril, 2010  
Blogger HNO said...

Gostos não se discutem... Na melhor das hipóteses educam-se...

quarta-feira, 07 abril, 2010  
Blogger pvnam said...

---> O Flávio Gonçalves colocou o dedo na ferida: a teoria das 'sociedades multiculturais' é, tão somente, apenas mais uma... entre 'n' teorias que andam por aí -> muito jogo (de Direita, de Esquerda, de Religião, etc)... muitas cambalhotas... tudo com um objectivo final muito preciso: branquear aqueles que não abdicam de mão-de-obra servil ao preço da chuva!

---> O senhor Eugène Terre'Blanche tinha muito jogo... mas também não abdicava de mão-de-obra servil ao preço da chuva!

quarta-feira, 07 abril, 2010  

Enviar um comentário

<< Home